Telhado de um curral foi derrubado pelo tremor de terra — Foto: Rone de Oliveira/Arquivo Pessoal

*POR G1 Grande Minas

Cidades vizinhas, como Bonito de Minas e Cônego Marinho, também sentiram os tremores; não houve registros de feridos ou danos materiais.
A Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) confirmou na tarde desta segunda-feira (21) o registro de um tremor de terra ocorrido em Januária, no Norte de Minas. De acordo com a Universidade o abalo, de magnitude 2,8 na Escala Richter, ocorreu por volta das 7h e foi captado por um sismógrafo que fica no Parque do Lapa Grande, em Montes Claros. Não houve registros de feridos ou danos materiais.

O epicentro do tremor foi na região de Pandeiros, mas foi sentido também em cidades vizinhas, como Cônego Marinho e Bonito de Minas. “Eu estava na sala de minha casa quando ouvi um estrondo muito forte, que se prolongou por cerca de seis segundos. Sai de casa para ver o que acontecia e perguntei aos vizinhos e todos sentiram o abalo. Moro há 21 anos aqui e esta foi a primeira vez que percebi este tremor em Bonito de Minas. Já presenciei tremores em Montes Claros e o daqui foi bem semelhante aos que ocorrem lá”, explica Edmar Nunes Ferreira, que faz parte do Núcleo da Defesa Civil de Bonito de Minas.

Foi um estrondo horrível. Inesperável. Quando cheguei em minha propriedade, na Comunidade de Larguinha, vi que a casa do curral havia sido derrubada.
— Rone Viana de Oliveira
De acordo com o responsável pelo Núcleo de Estudos Sismológicos (NES) da Unimontes, Maikon Fredson Freitas, a região possui uma falha geológica, deixando-a propícia a novos tremores. “A falha é parecida com a existente em Montes Claros. Não tem como prever, mas a região está em uma área considerada ativa e tremores menores podem ocorrer sim”, diz.

De acordo com Freitas, o maior tremor ocorrido no Norte de Minas foi de 4,9 na Escala Richter, no ano de 2007, na cidade de Itacarambi. Naquela ocasião, uma pessoa morreu com o desabamento de parte de uma casa.

“Inclusive, é a única morte provocada por tremor de terra registrada em todo o Brasil. Isso ocorreu, além da magnitude de 4,9, devido às condições da construção, que era de adobe. Em caso de abalos menores, dificilmente irá gerar danos em construções de estruturas mais resistentes”.